Frieze NY – 2015

Frieze NY 2015 - Randall's Island
Frieze NY 2015 – Randall’s Island

A Frieze Art Fair, localizada originalmente em Londres, se tornou na última década uma das mais importantes feiras de arte do mundo, e seu sucesso motivou a criação, em 2012, de uma versão americana do evento.

Igualmente badalada, a versão novaiorquina já se tornou um dos acontecimentos mais importantes não apenas do mercado das artes, mas também da agenda cultural da primavera – afinal, cerca de oitenta por cento dos frequentadores não são compradores, e frequentam a feira apenas para acompanharem as novidades apresentadas pelo circuito.

A edição de 2015 aconteceu justamente nesta semana que passou, e ARTMOTIV esteve lá para conferir. Situada na Randall’s Island, a Frieze contou com a participação de 198 galerias do mundo todo, sendo sete brasileiras, das quais uma delas, a Jaqueline Martins, ganhou o prêmio de estande mais inovador, apostando nos trabalhos da artista alagoana Martha Araújo. Esta artista, cuja obra vem sendo resgatada recentemente através de importantes exposições, está presente com um trabalho que vem ganhando notoriedade, intitulada “Para um corpo nas suas impossibilidades”, em que roupas com velcro estão disponíveis para os espectadores, que ao vesti-las podem se fixar como desejarem em uma rampa coberta com a outra parte do velcro. Sua obra remete diretamente à tradição da arte participativa de Lygia Clark, por exemplo, com suas vestimentas que exigiam do espectador não apenas o olhar passivo, mas uma inserção ativa na obra de arte; assim sua fruição passava a implicar bem mais que o sentido da visão, tornando possível uma experiência mais complexa, de caráter físico e corporal, e de natureza plurissensorial.

A Galeria Jaqueline Martins, ganhou o prêmio de estande mais inovador, apostando nos trabalhos da artista alagoana Martha Araújo.
A Galeria Jaqueline Martins, ganhou o prêmio de estande mais inovador, apostando nos trabalhos da artista alagoana Martha Araújo.

Entre outros destaques, a Lisson Gallery, importante galeria londrina que representa artistas de primeira grandeza como Anish Kapoor, Marina Abramovic e Ai Wei Wei, apresentou a instalação do britânico Ryan Gander: uma saraivada de setas vindas não se sabe bem de onde, mas que parecem ter como alvo o espaço da galeria. Tiros certeiros no centro do mercado de arte?

A instalação do britânico Ryan Gander: uma saraivada de setas, em plena Lisson Gallery
A instalação do britânico Ryan Gander: uma saraivada de setas, em plena Lisson Gallery

Já na Galeria Gavin Brown’s Enterprise, o artista americano Jonathan Horowitz também solicita a participação dos visitantes em sua obra: eles devem pintar um círculo preto sobre uma pequena tela, que se juntará a outras telas com círculos pretos pintados por outros visitantes, em uma espécie de excêntrico happening suprematista. É a chance de encarnar Malevitch por alguns instantes…

Jonathan Horowitz solicitou a participação do público em sua obra: eles devem pintar um círculo preto sobre uma pequena tela, que se juntará a outras telas com círculos pretos pintados por outros visitantes,
Jonathan Horowitz solicitou a participação do público em sua obra: eles devem pintar um círculo preto sobre uma pequena tela, que se juntará a outras telas com círculos pretos pintados por outros visitantes.

Fotos: Cristiane Peixoto

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s