“Quando as atitudes se tornam forma”: a arte como processo

When attitudes become form, exposição organizada pelo lendário Harald Szeeman em Berna, na Suiça, em 1969, é ainda hoje uma das mais citadas e discutidas exibições de arte dos últimos cinquenta anos; com sua constelação internacional de artistas experimentais, tais como Joseph Beuys, Robert Morris, Richard Serra, Eva Hesse e Bruce Nauman, entre muitos outros, a mostra ficou marcada pela sua ênfase no processo, e não na obra, questionando o caráter objectual e comercial das obras de arte. A despeito das várias e muito influentes personalidades artísticas que compuseram a exposição, When attitudes become form tornou-se indissociável de seu criador, o crítico de arte Harald Szeeman, que ousou orquestrar um evento que combinou artistas de movimentos distintos, como o minimalismo, o pós minimalismo, a arte povera, a performance e a arte conceitual, misturando-os entre si em um diálogo livre e direto, ao invés de isolá-los em tendências estanques. Tão forte foi o impacto que custou o emprego de Szeeman no Kunsthalle de Berna, ao mesmo tempo em que fez surgir a figura do “curador”.

O desaparecimento das obras como objetos concretos e estáveis dará lugar, neste evento, a idéias, conceitos, processos, informações e situações, cujo caráter provisório, imaterial e inacabado funcionou como uma espécie de afirmação para as novas experiências artísticas do momento. Por outro lado, When attitudes become form modificou a função do curador, que deixou de ser a pessoa que zela pelo acervo dos museus para se tornar aquele que concebe e realiza exposições. Em outras palavras, por onde quer que olhemos, reconhecemos ali sinais do circuito da arte como o experimentamos nos dias de hoje.

Em maravilhosas imagens da época, vemos Joseph Beuys espalhando margarina pelos cantos da sala de exibição, em uma amostra do uso de materiais não artísticos do dia a dia em espaços inusitados da arquitetura, para colocar em ação a mitologia pessoal do artista. As esplêndidas peças de Richard Serra, instáveis e perigosas, se sustentam contra a parede em precária equação de peso e gravidade, enquanto Robert Morris exibe a imprevisibilidade de seus carpetes derramados pela sala, com Bruce Nauman ao fundo; a arte povera de Mario Merz participa com seu iglu de vidro, enquanto Walter de Maria propõe como arte um contato telefônico direto com o público: a vanguarda em peso se fez presente.

Joseph Beuys exibindo sua ação de utilizar concretamente a gordura, expondo ao público o uso de materiais não artísticos no espaço arquitetônico
Joseph Beuys exibindo sua ação de utilizar concretamente a gordura, expondo ao público o uso de materiais não artísticos no espaço arquitetônico
Mario Merz participa com seu iglu de vidro. A arte povera misturada com outros movimentos artísticos da época.
Mario Merz participa com seu iglu de vidro. A arte povera misturada com outros movimentos artísticos da época.
Walter de Maria e seu telefone oferecendo comunicação direta com o público.
Walter de Maria e seu telefone oferecendo comunicação direta com o público.

Em 2013, When attitudes become form foi remontada em Veneza, na Fundação Prada, pelo italiano Germano Celant, amigo pessoal de Szeeman, com as mesmas obras da exposição original. Mais do que uma mera reencenação impessoal e historicamente correta da célebre exposição, entretanto, a mostra de Celant buscou repensar a mostra original, remontando-a com a colaboração do artista Thomas Demand e do arquiteto Rem Koolhaas em um antigo palácio de 1724. A especificidade da arquitetura conduziu Celant a uma leitura particular e diferenciada da inserção das obras naquele espaço, bem como da relação que viriam a estabelecer entre si, em uma montagem inventiva e que se mostrou capaz de resignificar para a nossa atualidade a inesquecível exposição realizada por Szeeman ao final dos anos 60.

Miuccia Prada ao telefone da obra de Walter de Maria, na remontagem da exposição, feita na Fundação Prada de Veneza, em 2013.
Miuccia Prada ao telefone da obra de Walter de Maria, na remontagem da exposição, feita na Fundação Prada de Veneza, em 2013.
A imprevisibilidade dos carpetes de Robert Morris, derramados pela sala da Fundação Prada
A imprevisibilidade dos carpetes de Robert Morris, derramados pela sala da Fundação Prada
A margarina de Joseph Beuyes, em 2013
A margarina de Joseph Beuyes, em 2013
De Maria na remontagem da exposição curada por Germano Celant
De Maria na remontagem da exposição curada por Germano Celant
Em 2013,
Em 2013, “When attitudes become form”
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s